Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

UMA CONVERSA COM

Entrevista sem pressa
Ruben Branches /Fair Bazaar
assinatura_corrigida

Filipa Veiga

Editora e professora de Yoga​

A atriz e autora do blogue Green Little Steps vive segundo o lema “menos é mais” e acredita que cada passo é importante para um futuro melhor, em equilíbrio com a natureza. Mãe de duas crianças, reconhece que o seu papel é fundamental na tomada de consciência da próxima geração

Como vê o mundo hoje?
Para mim, o nosso planeta é um abrigo-mãe gigante, capaz de nos sustentar com tudo o que precisamos para viver – água, oxigénio, calor, comida. Tenho um respeito gigante pela Mãe-Natureza. Tudo está tão bem orquestrado e interligado! Mas enquanto espécie, parece-me que temos sido demasiado egocêntricos e mimados, abusando, desrespeitando e desequilibrando a Mãe em prol de objetivos individualistas. Sinto que está na altura de crescermos e aprendermos a dar valor à magia que temos ao nosso dispor.

Como sente que contribui para a situação atual?
Tento minimizar o impacto negativo da minha família no planeta, optando por um estilo de vida simples e reduzindo o desperdício. Esforço-me por criar impacto positivo, voluntariando-me em ações ambientais, associando-me a empresas e organizações que partilhem o mesmo respeito pela Natureza e incentivando a mudança nos outros, através do blogue Green Little Steps. Reconheço também que, enquanto mãe da próxima geração, tenho um papel muito importante, procurando influenciar positivamente as minhas filhas.


O que a fez perceber que precisava de mudar?
Nasci e cresci no campo e estive sempre muito ligada à Natureza. Nos últimos anos, comecei a ler muito sobre o que estava a acontecer ao nosso planeta, em termos ambientais, e quanto mais lia, mais chocada ficava e mais urgência sentia em alterar os meus comportamentos. “Com que direito ponho eu em causa ecossistemas fundamentais à vida?”, foi a pergunta que mais me acompanhou nos primeiros tempos. As perguntas seguintes foram: “O que está ao meu alcance? Como posso melhorar?”


Qual é o seu objetivo?
Experimentar-me, melhorar, evoluir e fazer esta vida valer a pena.


As suas filhas mostram interesse nesta mudança?
As minhas filhas estão a crescer, a descobrir-se a si mesmas e ao mundo que as rodeia. Para elas não existe uma mudança, apenas referências, exemplos com os quais contactam todos os dias e que, provavelmente, as contagiarão. Tanto a Dalila como a Alice participam na separação dos resíduos para reciclagem, sabem que o plástico “não é amigo”, que o desperdício de água “faz mal ao planeta” e apanham folhas secas do jardim para fazer compostagem doméstica – este é o quotidiano delas.


Tem o blogue Green Little Steps. O que tem aprendido no contacto com as pessoas que a leem?
O blogue enche-me de esperança. São muitas – e cada vez mais! – as pessoas interessadas em mudar, em aprender, em fazer melhor. Leem os artigos, colocam questões, partilham as mudanças, fazem sugestões. Não podia haver melhor feedback.


Que conselho deixaria para o mundo?
Do fundo do coração, acredito que atravessamos um momento muito especial: todos, sem exceção, estamos a ser convocados para salvar o nosso planeta e sinto um prazer enorme em poder fazer parte deste movimento. Mais do que nunca, é importante recuperar o nosso poder – enquanto cidadãos, enquanto consumidores e enquanto leitores. Façamos com que valha a pena!