Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

DIZ-ME O QUE FAZES, DIR-TE-EI QUEM ÉS

Inquérito para quatro estações
Cátia Santos

Fair News

Cátia Santos, 33 anos,  é a Lady in Green, alter ego que criou nas redes sociais para falar de moda mais sustentável e consciente. Natural de Ílhavo, Cátia é tradutora de profissão, mas é através das suas próprias palavras que dá a conhecer alternativas para um mundo melhor.

Qual o hábito sustentável de que mais se orgulha?

Sem dúvida, ter conseguido reduzir o meu consumo de roupa. Era uma consumidora ávida, nada consciente, e ter conseguido desacelerar este consumo foi muito importante para mim.

Qual a mudança ecológica que quer fazer, mas ainda não conseguiu?

Mudanças relacionadas com o desperdício alimentar e com o plástico descartável. Não sou muito organizada e nem sempre tenho paciência e disponibilidade (muitas vezes mental) para fazer melhor nesta área.

Qual o seu objeto “verde” preferido?

Escolhi esta camisa cinzenta, da fotografia, porque marca, de alguma forma, o meu início no mundo da roupa em segunda-mão. É uma camisa que adquiri num mercado de trocas e que me relembra de que é possível apoiar uma moda mais consciente sem prejudicar o planeta e as pessoas. Relembra-me também de que é importante valorizar as peças que já existem e também as pessoas que as fizeram.

Quem a inspira?

Sou diariamente inspirada por várias pessoas no Instagram, pela minha família e amigos. Inspiram-me as pessoas que não têm medo de arregaçar as mangas e fazer diferente. A Salomé Areias da Fashion Revolution Portugal é quem me tem inspirado mais nos últimos tempos, a questionar e a perceber o que posso fazer para ser uma voz mais ativa neste caminho que é sustentabilidade na moda.

Que livro e que filme lhe foi inspirador?

Não tenho conseguido ler tanto quanto gostaria, mas queria recomendar o filme The True Cost. Este filme foi, para mim, um ponto de viragem e acho que pode ser uma ferramenta útil para iniciar a mudança.

Em que lugar se sente feliz?

Junto das minhas pessoas. Não importa onde desde que possa estar junto de quem mais gosto, de quem me apoia e me traz felicidade.

 O que mais valoriza nas pessoas à sua volta?

A empatia. Acho que é muito importante conseguirmo-nos pôr no lugar do outro. 

Se pudesse mudar uma política, qual seria?

No âmbito da sustentabilidade na moda, área em que o meu projecto se foca, gostaria de ver as grandes empresas a serem responsabilizadas pelo seu impacto no planeta e nas pessoas.

Qual a maior liberdade a que podemos aspirar?

A liberdade de podermos ser quem queremos ser. 

Qual a sua visão de um mundo melhor?

Para mim, um mundo melhor é um mundo em que as pessoas e o planeta caminham juntos. Um mundo em que devolvemos ao planeta aquilo que retiramos, em que todas as pessoas são livres, têm os seus direitos assegurados, são respeitadas e valorizadas. Um mundo em que reina a empatia, a entre-ajuda e a igualdade.

Se o Planeta nos pudesse falar, o que imagina que nos diria?

Acho sinceramente que o planeta está a gritar a plenos pulmões que precisa de ajuda e que a forma como vivemos não é compatível com um planeta saudável. Por outro lado, gosto de pensar que o planeta também confia em nós e na nossa capacidade para fazer melhor.

Segue o trabalho da Cátia AQUI