Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

VAMOS MUDAR

Dicas e guias para fazer diferente
Mica Asato

Fair News

Ter uma vida mais sustentável passa inevitavelmente pela forma como consumimos. A indústria da moda está programada para que os consumidores comprem com frequência por impulso e, à mesma velocidade, deitem fora o que compraram. Como consumidores de moda, podemos ter menos impacto no ambiente, sem mudar radicalmente a forma como vivemos

1. Ler as etiquetas
Sabendo a composição de um produto, percebemos se é reciclado, biodegradável e se foi produzido usando muitos recursos. Primeiro facto a reter: um produto feito 100% de um material (sintético ou natural) é melhor do que um que misture vários materiais e que, por isso, será difícil de reciclar. Materiais como Cupro, Lyocel, Modal e Linho são menos agressivos para o ambiente porque são biodegradáveis, usam menos recursos e não necessitam de químicos no seu processo de produção. Por último, as palavras “upcycled” ou “reutilizado” significam que esse produto foi feito com materiais usados, dando uma segunda vida ao que podia ser considerado desperdício.

2. Preferir produtos feitos no país de residência
Além de dar impulso à economia local, comprar perto é sempre melhor do que optar por produtos feitos do outro lado do mundo que, por isso, ganham uma pegada ecológica muito maior. Na maior parte das vezes, os produtos feitos em países em vias de desenvolvimento são o resultado de condições precárias de vida e de emprego, na busca de preços e custos de produção cada vez mais baixos.

3. Pensar se vamos usar a peça de roupa, pelo menos, 30 vezes
Comprar uma peça de roupa que vamos usar apenas uma vez é o mesmo que usar talheres descartáveis ou palhinhas de plástico: totalmente insustentável. Por isso, vale a pena seguir o #30wears challenge, de Livia Firth, fundadora e diretora criativa do Eco Age e produtora executiva do filme The True Cost, e fazer as perguntas “vou usar isto pelo menos 30 vezes?”, “vou usar daqui a seis meses?”, “vou usar no próximo ano?”. Se a resposta for “sim”, compre.

4. Não cortar as etiquetas com instruções de lavagem e composição
Para uma peça de roupa ser reciclável, ela precisa de ter as etiquetas. Sem elas, é impossível identificar quais os materiais de que é feita. Manter as etiquetas é dar a essa peça a possibilidade de ter uma segunda vida.

5. Lavar a roupa apenas quando necessário
Lavar a roupa implica um grande gasto de energia, de água e também de dinheiro. Lavar as peças de forma intensiva e com muito detergente também reduz a sua esperança de vida. Por isso, deve lavar-se a roupa apenas quando necessário e, de preferência, com detergentes naturais e seguindo as recomendações na etiqueta.

6. Fazer trocas de roupas e comprar em lojas em segunda mão
Dar uma segunda vida a uma peça de roupa é o melhor que se pode fazer. Existem muitas lojas com roupas de qualidade em segunda mão, que contribuem ativamente para uma economia circular. Podemos, ainda, trocar peças com amigos e ganhar um guarda-roupa novo sem gastar dinheiro.