Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

diz-me o que fazes, dir-te-ei quem és

Inquérito para quatro estações
Fair News

Fair News

Aos 15 anos, Joana Caetano está no 10º na área de ciências. Nos tempos livres, pratica patinagem artística e não dispensa fazer exercício ao ar livre. A viver em Sintra, tem uma alimentação saudável muito baseada em vegetais e, desde março, cultiva com a família uma horta em casa, de que muito se orgulha. Defensora da reutilização, compra e vende muitos artigos em segunda mão e, no dia a dia, leva sempre uma das suas garrafas reutilizáveis com água ou chá.

 

Qual o seu hábito sustentável de que  mais se orgulha?

De reutilizar a água do banho. Ou seja, enquanto espero que água aqueça, aproveito e encho o garrafão da água (de vidro), que uso na cozinha. Assim evito o desperdício de água.

 

Qual a mudança ecológica que quer fazer mas ainda não conseguiu?

Acho que é mesmo o copo menstrual. Já usei, mas depois acabei por deixar.

 

Qual o seu objeto “verde” preferido?

Provavelmente, o facto de andar sempre com uma garrafa atrás. Já percebi que há muita gente que não o faz, acabando por comprar sempre uma garrafa de plástico. Além do dinheiro que poupo, também sou menos poluente.

 

Quem a inspira?

Provavelmente, a Catarina Barreiros. Acho que fez uma grande mudança ao passar do uso excessivo de roupa de fast fashion para o uso de roupa e estilo de vida sustentável. Por outro lado, também não usa papel higiénico!! 

É uma pessoa que pesquisa sobre todo o tipo de temas sustentáveis. E partilha os seus conhecimentos, clarificando assim muita informação errada.

 

Que livro e que filme lhe foram inspiradores?

Não tenho propriamente um livro nem um filme que me inspirem em termos de sustentabilidade, mas tenho algumas contas de Instagram que me inspiram: @martilicious_food; @hero_to_0; @mariagranel.lx; @mindthetrash.

 

Em que lugar se sente feliz?

Sem dúvida, na praia. Mais especificamente, no mar, cheio de ondas. Pode até mesmo estar fria, a água, mas sabe sempre bem. Mergulhar, sentir a água na cara e depois ficar com o corpo cheio de sal e o cabelo seco que nem um carapau, não há melhor sensação! E se for no Guincho ainda melhor!

 

O que mais valoriza nas pessoas à sua volta?

O amor que elas têm por mim. Nem todos temos paciência para ouvir o outro sem intervir nem questionar, não é fácil e para mim isto é amor. Por vezes basta ouvir o outro sem questionar para se sentir melhor, é uma grande virtude.

 

Se pudesse mudar uma política, qual seria?

Esta pergunta não é nada fácil, pois acho que muita coisa é injusta… mas é bastante evidente o desperdício alimentar e o lixo no planeta. Cá em casa isso não acontece, porque tudo o que compramos é consumido e não há restos que vão para o lixo. Acabamos sempre por aproveitar tudo até ao último bocadinho, nem que seja só para um refogado. Acho mesmo que o que acontece no mundo tem de mudar, pois há tantas pessoas a morrer à fome e ao mesmo tempo tanto desperdício alimentar no planeta.

 

Qual a sua visão de um mundo melhor?

Um mundo mais limpo! Menos pessoas tóxicas, menos lixo, menos desperdício. 

 

Se o Planeta nos pudesse falar, o que imagina que nos diria?

Que não há planeta B, que o planeta está muito poluído e que todos nós temos de fazer algo para parar o que está a acontecer. Mesmo por muito pequeno que seja o nosso contributo, vale sempre a pena.