Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

UMA conversa com

Entrevista sem pressa
Viktor Holm
121502762_1786925418126080_4155832886780902380_n

Fair News

Kim Gerlach é uma entusiasta da sustentabilidade. Em 2015, decidiu deixar de comprar fast fashion durante um ano. Hoje, é uma escritora e empreendedora de sucesso e uma fonte diária de inspiração para um modo de vida mais consciente

O que a levou a começar um blogue?
Tudo começou há uns anos quando decidi não comprar fast fashion durante um ano. Durante esse ano, mergulhei num mundo cheio de ótimas alternativas, numa comunidade viva e encontrei uma nova paixão: a sustentabilidade. Nesse blogue escrevi os meus pensamentos e as minhas preocupações sobre a indústria da moda e partilhei dicas valiosas com todos os que querem entrar neste mundo.

O que a motivou a deixar de comprar fast fashion durante um ano?
Como viciada em compras que era, foi um passo muito grande. Não estava muito contente com o meu consumo. Com a idade e o aumento de consciência, percebi que podia sair do sistema capitalista tomando algumas decisões ativas. Decidi que, além da dieta sustentável que já fazia, podia modificar a minha forma de consumo. E, para me pressionar a agir, comecei o blogue e chamei a atenção dos media. No final, resultou mesmo! Consegui não comprar fast fashion durante um ano. Até pode parecer simples, mas, em 2015, quase não existiam marcas de slow fashion que respondessem a diferentes estilos.

Quais foram as maiores dificuldades durante esse ano?
A variedade de escolha que hoje existe não era uma realidade naquela altura. Existia apenas uma mão cheia de marcas e, honestamente, preocupavam-se apenas com o lado eco e menos com o design. Por isso, comecei a comprar sobretudo peças vintage e em segunda mão… o que também combinava com o meu orçamento reduzido de estudante. Nos últimos anos, o mercado de slow fashion felizmente cresceu muito e hoje encontramos opções para todos os gostos e estilos.

O que costuma dizer a quem também quer começar este desafio?
Preparar o ambiente à nossa volta ajuda muito. Cancelar a assinatura das newsletters que nos ligam constantemente ao mundo da fast fashion é essencial. Deixar de seguir bloguers e influencers patrocinados por essas marcas também. Mas, acredite-se, optar pela slow fashion é mais fácil do que se possa pensar. Roupa em segunda mão é uma alternativa barata e hoje já existem muitas marcas de slow fashion acessíveis e com peças bonitas.

Além da moda sustentável, também tem outros hábitos sustentáveis no seu dia-a-dia?
É mesmo um mindset. Controlo o meu consumo de plástico, não como carne nem consumo outros produtos animais. Compro o mais possível em segunda mão e ando de bicicleta. Também tento voar menos.

Que conselho dá a quem quer ter uma vida mais sustentável?
Que não levem a sustentabilidade demasiado a sério e deem pequenos passos. Ser sustentável deve ser uma coisa divertida e prazerosa.