Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

histórias que nos inspiram

Marcas, pessoas, projetos e objectos
Kitchen Dates

Fair News

Sofia Fonseca

O projeto remonta a 2016, numa casa em Amesterdão, onde se cozinhava comida simples, saborosa e saudável. A ideia partiu de uma constatação óbvia: como é que alimentos tão básicos, como por exemplo o pão, continham tantos ingredientes na sua composição? A procura por versões mais simples, naturais e saudáveis foi um processo que, da partilha com um núcleo de amigos e colegas de trabalho, passou para uma página de Instagram até chegar a um espaço físico em Lisboa.

De Amesterdão para a Capital portuguesa
A Maria e o Rui são os rostos por detrás de todo este projeto único, que procura não só ser uma alternativa mais saudável, equilibrada e consciente, mas também uma alternativa sem desperdício. Os Kitchen Dates, ou encontros na cozinha, começaram ainda na Holanda, depois de alguns amigos mais chegados os terem convencido a abrirem a cozinha da sua casa não só a conhecidos, mas a eventuais clientes que poderiam usufruir da experiência gastronómica única que ambos proporcionavam. Estes encontros foram um sucesso e, quando em outubro de 2017 decidiram voltar para Portugal, a primeira edição em terras lusas esgotou logo. Pouco a pouco a casa da Maria e do Rui tornou-se pequena para receber tantos pedidos e a decisão de criar um espaço público, que permitisse flexibilizar e tornar mais acessíveis os Kitchen Dates, ganhou forma dois anos depois.

Momentos de partilha à volta da mesa
A ideia nunca foi ter um espaço de restauração na verdadeira aceitação da palavra, mas sim ter um prolongamento da partilha de experiências que já acontecia nos encontros lá de casa. E é muito disso que vive este conceito: de uma comunidade que se reúne à volta da boa e verdadeira comida, troca impressões e cria novas experiências à volta de uma mesa. Esta comunidade é, na verdade, a espinha dorsal deste projeto, que tem vindo a crescer ao longo destes anos e a tornar-se numa verdadeira família. Foi esta família, através de um projeto de crowdfunding, que ajudou a tornar realidade alguns pormenores importantes do novo espaço em Lisboa: uma sanita que aproveita a água de lavagem das mãos para efetuar as descargas e um robot de compostagem, a quem carinhosamente chamam de “Eva”. Tudo aqui é aproveitado e nada é desperdiçado. Aquilo que é efetivamente “lixo”, como os restos dos pratos dos clientes ou elementos tóxicos (como por exemplo os caroços de maçã) ficam a cargo da Eva. O composto vai depois para uma horta biológica, resultado de um protocolo recente com a Câmara Municipal de Lisboa.

Como assim, sem desperdício?
É desafiante só de pensar num projeto desta natureza. É quase impossível não fazer a pergunta de forma direta e objetiva: não será difícil por tudo isto em prática? Uma cozinha saudável, biológica, sustentável e sem desperdício? É Maria quem dá a resposta de forma pragmática: “não estamos a fazer nada de novo. No fundo estamos a combinar as melhores práticas de antigamente com as novas práticas da atualidade”. Mas nos dias que correm, na sociedade em que vivemos, nem sempre é fácil voltar às origens e ao que seria supostamente mais simples. Procurar produtores locais foi um dos principais desafios logo de início. Hoje, os produtos frescos são oriundos de um raio de no máximo 50km, enquanto os restantes estão confinados ao máximo do território de Portugal Continental. É por esse motivo que não há espaço para ingredientes como o coco, a castanha de caju, o café ou as especiarias. Tudo isto para que se possa reduzir a pegada de carbono e o impacto ambiental.

Um propósito para além do espaço
Como em todos os negócios, também aqui a pandemia deixou a sua marca. Os Kitchen Dates foram suspensos e agora apenas funcionam em modo de take-away ou de entrega ao domicílio (serviço que Rui faz questão de assegurar na sua mota). Os encontros marcados ficaram adiados, bem como as longas conversas e partilhas de experiências à volta da mesa. “Entristece-nos entrar neste espaço todos os dias e ver a sala vazia”, diz Maria. Sente falta do convívio, das gargalhadas, do tempo sem pressas nem restrições. “Os Kitchen Dates são também um projeto de literacia alimentar numa ótica mais sustentável e por isso vamos dar continuidade à nossa missão de educar”, conta Maria em jeito de projeção para 2021.

Uma missão única e que ainda vai dar muito que falar, cozinhar e partilhar.

 

https://kitchendates.pt/