Informação sustentável para uma vida mais consciente

Informação sustentável para uma vida mais consciente

HISTÓRIAS QUE NOS INSPIRAM

Marcas, pessoas, projetos e objetos
Nazareth

Sofia Dezoito Fonseca

Fair News

Há peças que têm a capacidade de, só de olharmos para elas, nos dizerem quem as fez. As peças da Nazareth são assim: únicas, genuínas, com toque próprio e posicionamento bem marcado. Conforto e versatilidade juntam-se em nome de uma moda mais justa, atual e transparente.

Foi em 2013 que Mária Nazareth deu início às primeiras peças da marca: “inicialmente com coleções temáticas de peças com fotografias de minha autoria produzidas em digital print, cuja inovação na altura era a impressão a 360 graus. O conceito era vestir uma fotografia”, conta a fundadora à Fair News.

A marca foi naturalmente evoluindo para um conceito mais sustentável, com inovação tanto nas matérias-primas (do poliéster à viscose, passando pelo algodão, lyocel até ao algodão orgânico) como no design (peças intemporais, unissexo e reversíveis).

Inspiração

Como tudo na vida, a inspiração tem de vir de algum lado e no caso em concreto as referências não poderiam ser melhores: “A Nazareth Collection é inspirada nas minhas duas avós. A avó Aurora era mestre de guarda roupa cénicos e artísticos no TEP. Já a avó Luz, esta foi a primeira empreendedora a ter uma empresa têxtil de plissados e sacos de cama. Herdei, portanto, de ambas a criatividade, a persistência e a inovação, como também e principalmente, o gosto por saber fazer durar uma peça de roupa e o sonho de a vestir como sendo única”.

Hoje, Márcia admite que a conexão entre si e a marca é cada vez maior: “vivemos uma intimidade genuína onde uma vive e aplica a outra. Ambas consolidadas numa empresa em crescimento, associada com a Irene desde 2020, onde juntas partilhamos a visão de empreender um negócio financeiramente rentável que faça bem aos outros. Porque acreditamos que o nosso pequeno papel no mundo pode crescer e com ele mais mulheres acreditem também em si e com a gentileza que nos pertence, despoletar o melhor nos outros”.

Menos é mais

Um cliché que agora virou moda e modo de ser na Nazareth. Menos consumo, mais qualidade. A ideia é materializada em peças que possam durar uma ou mais vidas, que possam passar de mãe para filha ou que tanto uma como outra as possam partilhar em simultâneo. O “cliché” perdura ainda nas peças unissexo, que são já ícone da marca e nas reversíveis que dão a oportunidade fantástica de comprar uma peça e ter duas utilizações.

E por aqui não fica. A Nazareth preocupa-se genuinamente com compras mais conscientes e por isso utiliza também material parado nas fábricas (o chamado deadstock). Para conseguir ter um produto cada vez mais consciente, a marca tem hoje em dia três condições importantes para cumprir: que a malha seja produzida num raio de 30 km do local da confeção, obtida a partir de deadstock e reversível.

A persona Nazareth e para onde quer ir

As peças da Nazareth são feitas a pensar nas mulheres bem resolvidas e emocionalmente sustentáveis. “são mulheres que procuram peças que durem na qualidade e no conforto que proporcionam. Que procuram sempre uma compra consciente. Para consigo e com o meio ambiente”, conclui Márcia.

Quando lhe perguntamos pelos objetivos futuros, a lista estende-se: “criar mais produtos, ter mais parceiros/fábricas com este alinhamento na produção. Continuar a construir uma linguagem cuidada e consistente. Juntar-me a marcas e a pessoas com quem aprenda e cresça. O coletivo é sempre melhor”

E é por este caminho que seguimos juntos e anunciamos que a Nazareth já faz parte do universo da Fair Bazaar.

Conheça melhor quem está por detrás da marca

Márcia Nazareth, formada em Design Gráfico nas Belas artes do Porto, trabalhou em algumas agências de design no Porto até que em 2003 decidiu abrir o seu próprio gabinete de design e comunicação. Foi uma maravilhosa aprendizagem de 10 anos, que lhe deu a experiência necessária para ainda hoje, e cada vez mais, continuar a acreditar no empreendedorismo no feminino.